Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘aniversário’

Parabéns!

Cinco anos. De repente passaram cinco anos e é como se tivesse sido ontem. As nossas mãos, tão diferentes, juntaram-se para fazer crescer um projecto só queria remar contra a maré. Ainda quer. A sua existência, na verdade, é prova disso. No meio de trabalhos, de novos projectos, de novas vidas, com milhares de reuniões, reportagens e oceanos pelo meio, a verdade é que voltamos sempre aqui. Como quem volta a casa.

Como na vida fora da blogosfera, tendemos às vezes a cuidar menos de quem nos diz mais. É o que tem acontecido com esta agenda que é tão nossa. Que é de nós para o mundo. E que é nos é tão querida, porque representa muito mais dos que aquilo que algum dia conseguiremos escrever aqui, seja a duas ou a quatro mãos. Por isso mesmo, repito, remamos contra a maré há cinco anos. Há pouco mais do que isso cruzámos os caminhos uma da outra e nada voltou a ser o que era dantes.

Não te minto: nunca pensei que construíssemos o que temos hoje. Aquilo que era só uma afinidade de trabalho, de letras, de escrita passou a ser de vida. Todos os dias te sinto a falta, mesmo sabendo que nunca estás longe. Porque tu és assim: sabes fazer-te presente mesmo quando não o tentas fazer.

Hoje os parabéns não são para a Nossa Agenda – está tão crescida, já viste? Hoje os parabéns são para ti. Porque é o segundo aniversário da pequena que passamos à distância de um Oceano. E isso significa que se nós não conseguimos remar contra marés, dificilmente alguém mais conseguirá!

Parabéns! E que 2014 nos inspire a escrever mais e mais estórias. Não importa de que lugar.

Anúncios

Read Full Post »

Não é um papel que define as coisas. Mas o teu nome está para o meu desde que eu nasci. Fui buscar-te o primeiro apelido, coladinho ao meu. Ofereceste-mo de graça, porque quiseste que, oficialmente, fosse já uma parte de ti, uma continuação tua. Mas ainda antes disso, já te reconhecia a voz. Durante meses falaste comigo, tocaste-me através de uma camada fina de pele que parecia não existir, de tão alta que sentia a tua voz, de tão forte que sabia a ligação. Nem quando tossias e eu tremia, o barulho me assustava. Porque eu sentia-me protegido sob a tua responsabilidade. Não sei porque me escolheste a mim, o que motivou esta escolha, como soubeste que era eu, que tinha que se eu e não outro qualquer. Mas – apesar do desconhecimento – pareces certa da tua escolha, não hesitas um instante que seja, manténs a pose mesmo quando duvidas de uma ou outra atitude, mesmo quando choras depois de me ralhares porque não me porto bem. Eu, de ti, não tenho a dizer mais do que o bem que me fazes, do bom que é um abraço teu, do doce a que me sabe um beijo vindo daí ou do agradável que é sentir o teu cheiro na minha roupa lavada e guardada com cuidado no meu armário. Fazes questão de estar sempre e de dar tudo o que tens. E continuo a estremecer quando sinto que te aproximas. Como no primeiro olhar – em que soube que eras mesmo tu aquela que me falava e eu não via, que soube que eras tu a encarregada pela minha alimentação cuidada e pelo calor e conforto (e até das canções de embalar e das festinhas à noite, quando eu estava mais inquieto). Um dia – penso tantas vezes – quero ser como tu. Continuo, como na primeira vez, a ter a certeza: a minha, não podia ser outra pessoa senão tu, mãe.

Entrada Na Nossa Agenda a propósito do Dia da Mãe. Que mãe, há só uma.

Read Full Post »

Apagaste as velas com a mesma força que emprestas a tudo.  De saia às bolinhas, naquele sorriso que te já é tão habitual, deixaste que te ocupassem a casa e o coração, sedenta de uma alegria que teima em não chegar, porque tu és assim: exigente contigo, com os outros, com o mundo que parece não te querer fazer as vontades.

Seguiste à risca o lema ‘Ano novo, vida nova’, e atiraste-te de cabeça numa nova aventura. Conhecias os riscos, sabias os prós e os contras, pediste conselhos, ponderaste, dormiste sobre o assunto, tentaste evitar e por fim decidiste. Sabias, que, melhor ou pior, era a única solução.

Aplacaste a tua fome por coisas novas, actuais, fervilhantes, e guardaste a energia para coisas não tão emocionantes. Desconfio de que nos próximos meses vai ser difícil ouvir-te falar, como dantes, das coisas que escreves, que descobres, que revelas ao mundo naquele discurso tão teu.

Mas hoje o dia é teu. E é teu com toda a alegria, a força, a garra com que te agarras às coisas em que acreditas. É teu, ainda que nublado, porque é a tua determinação que há-de fazê-lo mais bonito. É teu porque há mais de duas décadas que mostras ao mundo que apesar de todos os obstáculos, de todas as dificuldades, de todas as teimosias, a preserverança e, acima de tudo, a paixão, levam sempre a melhor.

Eu só tenho a agradecer o tanto que me ensinas na partilha de projectos, de sonhos, de vontades. “Porque remar contra a maré a duas é difícil…mas é possível”.

Parabéns. Num dia só teu.

Entrada na Nossa Agenda a propósito do teu aniversário*

Read Full Post »

Eram duas. Uma de cada lado e tão diferentes que se se conhecessem provavelmente não se iriam dar bem. Uma era colorida, cheia de vida, com experiência e as maravilhas do conhecimento sempre à mão. Actual, bonita, descontraída, sã.

A outra era escura, cinzenta, fechada numa amargura que lhe vinha da imensidão de tempo de clausura da qual não se conseguia libertar. Eram duas e uma só. Com um coração partido e uma alma incompleta. Durante anos a fio que testemunharam ausências, dores, desaparecimentos e lutas incansáveis.

Eram duas. Condenadas à felicidade de serem uma. E afinal não se desentenderam nas suas diferenças mas acolheram-se nas suas semelhanças. E foram uma. Porque é assim que deve acontecer após um reencontro. Na felicidade, na euforia do encontro, no regozijo das palavras há tanto esquecidas e agora partilhadas.

Hoje são uma. E mais uma vez comemoram a alegria do reecontro. Já lá vão 20 anos.

Entrada na Nossa Agenda a propósito da comemoração dos vinte anos da queda (oficial) do Muro de Berlim, a 3 de Outubro de 1990.

Read Full Post »

Congrats

Acordou, como sempre, de madrugada. O tempo ou o sol ou que fosse não o deixava dormir manhã adentro. Há anos que era assim. Esticou o braço para o lado e sentiu o vazio de uma cama que era para dois. Sentiu falta dos risinhos barulhentos que enchiam a casa e o coração a cada despertar, a cada manhã.

Levantou-se e olhou para o céu azul que adivinhava mais um dia de sol e de trabalho. Depois do ginásio, arranjou-se enquanto delineava o plano diário. Sabia onde queria jantar. Nem que o céu caísse sobre a sua cabeça, ao menos isso ia fazer. Escolher uma das actividades diárias não lhe parecia pedir muito.

Enquanto descia as escadas sorriu e voltou a sentir a falta das mãozinhas pequeninas que geralmente o acompanhavam. Mas havia objectivos maiores, este ano. Era preciso ficar e mostrar como se fazia um país. Com sacrifícios, com cedências, e com força de vontade.

E acima de tudo, com amor. Como dizia Oscar Wilde, pensou, ‘só o amor, qualquer que seja a sua natureza, pode explicar o enorme sofrimento que há no mundo’.

O sorriso abriu-se-lhe quando, ao entrar na sala ouviu uma gravação preparada pelos leais empregados que passavam com ele mais um ano. Happy birthday Mr. Presideeeeeent, cantava aquela voz tão conhecida.

E riu com gosto, ao perceber que as missões mais cobiçadas são também as mais difíceis. E recompensadas.

Entrada na Nossa Agenda a propósito do 49.º aniversário de Barack Obama.

Read Full Post »

A calma. Ainda ontem me lembrava dela e pensava que tinha que a escrever aqui. É a tua calma que me sossega, mesmo  quando o mundo parece cair. Chegas às 7h como quem chega às 11h ou às 12h. Com o mesmo sorriso, o mesmo vigor, a mesma graça. És detalhista, observadora. Gostas de partilhar com os outros as tuas estórias, gostas de contar as estórias que vês. É disso que é feita a tua tão cheia vida: de estórias que não perdes, de pedaços de vida(s) que nunca deixas para trás.

Consigo ver os teus olhos atentos a varrer os espaços à procura do novo, do inédito. Consigo ver os teus sentidos todos sintonizados para o mesmo objectivo. E o ar sério que tantas vezes usas, seja de verdade ou a brincar. Lembro-me da tua expressão interrogativa quando não entendes alguma coisa. Da de espanto quando alguém – ou algo – te consegue surpreender. Mas aquela de que mais gosto é a tua expressão de sempre: concentrada, com um brilho nos olhos e muitas novidades para contar.

Porque essa é a expressão com que te encontro a cada reencontro. E é por isso que hoje, que estamos no mesmo lado do Oceano, eu faço questão de a ver. No meio de dois abraços, dois beijinhos e dois Parabéns. Porque além de parte da minha vida, tu és também a metade daqui; e vários dos meus sonhos foram possíveis porque tu os partilhaste comigo. O que faz com que mereças tudo a dobrar.

Hoje o dia é teu! O amanhã também.

*

Entrada na Nossa Agenda a propósito do teu aniversário. Porque tu és metade disto. E por isso os Parabéns devem ser a dobrar. Parabéns*

Read Full Post »

A Nossa Agenda faz um ano! E melhor do que fazer um balanço – suspeito – de uma coisa que é nossa… é pedir a opinião àqueles que contruíram connosco este projecto. Que de alguma forma o fizeram acontecer. Por isso, e porque as outras agendas nos interessam, quisemos que os nossos colaboradores contribuíssem mais uma vez.  Que nos dissessem
o que acham, brincassem com os erros, criticassem a linguagem, que nos olhassem com realismo. Pedimos que no fizessem melhores do que antes e nos ajudassem a projetar o futuro, que convosco, se vislumbra bem mais divertido e preenchido.
Que um ano é pouco tempo para tudo aquilo que queremos da Nossa Agenda.

Margarida e Mariana

Aqui ficam as respostas de quem aceitou o desafio [Obrigada!]:

A minha agenda não tem sido, a minha tem sido muito a vossa, a correr, aos bocadinhos, quando posso. Mas tem sido.

A Mariana e a Margarida ensinam-nos a olhar o mundo com outros olhos, mais bonitos, mais românticos, mais literários. E isso é mau? Fugimos à realidade? Não, porque elas têm a fórmula mágica de escolher o quotidiano para podermos ler com os olhos delas. E escrevem muito bem. Tão raro, e que privilégio o nosso.

Parabéns.

Luísa Lopes.

Não costumavam ser os acontecimentos do dia-a-dia, os que são apenas notícia por um dia, que mais a atraíam. Interessava-se sobretudo pelas historinhas, pelos detalhes, pelo que vale uma conversa ou um olhar mais demorado. Por isso gostava da agenda delas, que liberta a outra “agenda”… Inspira-se nela, mas propõe outros ângulos e muitas vezes ousa incluir na agenda o que dificilmente nela caberia, nos moldes mais tradicionais. Uma alternativa poética que ela gostava de espreitar…”

Entrada Na Nossa Agenda  a propósito da notícia:

“Um ano a trocar as voltas à Agenda”
Sugestões? Mantenham-se infiéis à outra agenda!

beijinhos e parabéns!

Susana  Marques

Dos poucos blogs que observo pela rede, tenho a destacar a alegria da escrita transmitida nas vossas noticias e o “tamanho” atingido por este vosso canal de informação. Voces conseguem dar a conhecer mais e melhor do mundo, de uma maneira não enfadonha e, principalmente, de uma maneira não negativa. A vossa informação não vive da tristeza e destruição, o que é raro nos dias de hoje. Estão no bom caminho! PARABENS pelo 1º ano de existência. Espero que seja o 1.º de muitos…

Diogo Antunes

Contactei com “A Nossa Agenda” há pouco tempo, mas percebi que se trata de um espaço de partilha valiosa. A “Nossa Agenda” faz parte da minha agenda, pelo que tento seguir os novos textos com assiduidade.  Parabéns, e continuem o excelente trabalho!
Beijos
Tiago Fleming Outeiro


vou começar a pior maneira possível: raramente abro a página da nAgenda.

assino o feed. por isso é possível que eu não conste das vossas estatísticas. [e agora, depois disto, o meu parvo começo torna-se ainda mais parvo. acho que já estavam à espera disso, a culpa é vossa.]

seja como for leio sempre que é actualizada. quando não é não leio.

mesmo que às vezes algumas histórias puxem mais pela rabetice que há em nós, gosto de ler outra história que não existe na notícia. [uma estória, é isso!?].

só gostava que a ceninha [termo técnico] das músicas fosse mais história com música pelo meio. depende de cada um, eu sei, mas prontES.

é só.

*

[sim sim, mas a culpa não deixa de ser vossa.]

Luís Batista

 

Numa altura em que cada vez mais a nossa agenda mediática se rege por critérios económicos e não de interesse noticioso, é bom que existam agendas como a vossa… mais humana, mais próxima, mais sentida. Keep up the good work!

Pedro Neves


Eu sou colaboradora recente! Quase não chegava a tempo de celebrar o “níver” deste blog, postando mais larachas para celebrar “esta data querida”
(para quem não me conhece, eu sou aquela que tentou fazer humor na escolha de músicas, e que agora repete a graçola já gasta)

Ora pois, que eu tenho a confessar que às vezes não vos leio… sim sim, sou uma salafrária sem-vergonha, mas a vida mete-se pelo meio, e o trabalho pesa, rouba o tempo precioso!

Mas o que diz mais da qualidade do vosso blog não é o fato de eu não vos ler (MUITO RARO, MAS LÁ ACONTECE), mas a frustração que me invade quando (não) o faço…

E de cada vez que volto, recordo a vossa qualidade, o vosso talento, e o vosso carácter!

Para quem só agora se junta a nós, este é o blog de duas amigas que querem agarrar o mundo, falar com ele, e aprimorar a o “métier”! O talento corre-lhes nas veias, a escrita surge sem grande esforço: porque quem é sincero e talentoso, só precisa de ouvir o coração

É o que elas fazem!

parabéns, continuem!

assina esta vossa filha pródiga (MUITO RARO, MAS LÁ ACONTECE).

tê (em SP)

Teresa Morais

Read Full Post »

Older Posts »