Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Novembro, 2009

É quente, aqui

É sempre a primeira vez, quando entro. Um nervoso miudinho, uma expectativa de sentir-te o calor. Como se fosses uma coisa que me é tão querida que pudesses desaparecer a qualquer momento, sem que pudesse sentir o rasto do teu caminho. Sei que o fazemos juntos. Sempre que eu quero. E sei também que, se alguma vez me faltar o chão ou o céu, posso contar com o teu realismo e com a tua omnipresença. És comigo, aquilo que eu sou. E sei que posso encontrar-te de cada vez que te procuro. És um sem fim de oportunidades. E uma oportunidade só. Não posso falhar contigo, simplesmente porque tu não falhas comigo. E isso transfere-me a responsabilidade de não te faltar. E sou – simples e somente – aquilo que somos. Porque sou feita da matéria a que alguns chamam corpo. E uma mistura daquilo que me ensinaste. E daquilo que aprendi contigo. Como se fosse eu mesma, uma mistura de corpo e alma. E de ti também.

Entrada Na Nossa Agenda a propósito de todas as palavras ditas, escritas e lidas sobre Taizé. E também a propósito daquelas que nunca se poderão exprimir sobre Taizé.

http://www.youtube.com/watch?v=go1-BoDD7CI

Anúncios

Read Full Post »

Olho para ti como se fosse a primeira vez, como se não te tivesse visto já tantos dias, pensado em ti tantas horas, sonhado contigo tantas noites e acordado com a tua cara na minha cabeça, a tua voz a soar nos meus ouvidos e as tuas expressões já debaixo da minha língua. Apoderaste-te da minha alma como se fosses dono de mim, como se eu fosse uma extensão do teu sonho, do teu pensamento, da tua pele. E de repente já faço parte das tuas rotinas, da tua vida. Sem querer, transformo-me no soro que te alimenta quando não comes. Os meus braços afogam-te o corpo, como se a vida debaixo do mar fosse muito mais do que aquilo que sempre sonhaste. E tentas evitar ligar-te a outros que não a mim, com medo que me perca de amores por ti. Porque sabes que da interdependência só podem resultar beijos mais quentes. E mais sentidos. Um amor maior do que aquele que já temos. E isso a ti assusta-te mais do que a ideia de algum dia – por mais remoto que seja – poderes parar de me beijar. Que o nosso beijo, desde o primeiro dia – sabe-lo bem – é eterno. E com ele contas sempre. É como se já fosse o teu coração. Aquilo que te faz viver.

Entrada Na Nossa Agenda a propósito da notícia:

EEUU | Críticicas de los colectivos gays

Los besos sacuden la televisión de EEUU

http://www.elmundo.es/elmundo/2009/11/27/television/1259356773.html

Read Full Post »

Da Paz

O clima está tenso. E eu com tanta vontade de ir ao meu restaurante favorito. Saudades dos temperos incríveis que só naquele lugar consigo provar.

Hoje, quando ia a sair de casa reparei que estava alguém a vigiar-me. Segurei com mais força o lenço e, resolutamente, avancei. Não os posso deixar vencer. Não novamente. Fui dar uma volta, comprei o que faltava em casa e voltei. Tremi o caminho inteiro e nunca soube se era uma ou mais pessoas os meus seguidores.

Quando cheguei a casa ele estva branco, agarrado ao telefone. “Recebemos ameaças. Do governo”, disse, com a voz a sumir-se. Eu ergui a cabeça e olhei para o espaço vazio do meu troféu, recebido anos antes e confiscado há pouco tempo.

E olhei para ele, com um sorriso: “Isto será só  o começo. Nada há a temer..Apesar de tudo eu ainda acredito que a paz é possível.”

Entrada na Nossa Agenda a propósito da notícia:

Irão confisca prémio Nobel da Paz de Shirin Ebadi

http://www.publico.clix.pt/Mundo/irao-confisca-premio-nobel-da-paz-de-shirin-ebadi_1411663

Read Full Post »

Quando a Nossa Agenda nasceu, ela  decidiu que tinha que integrar as vossas.  Porque sem elas a Nossa não existe.  A Nossa Agenda é a agenda de todos. Pelo menos é isso que pretendemos. Que a Nossa faça parte da vossa e vice-versa. E porque todos os assunto são importantes, todos os momentos de todas as pessoas podem ter lugar na Nossa Agenda. Porque é de outras que se faz a nossa. Porque é de momentos que se constroem agendas. Por isso, à 4.ª quarta-feira de cada mês, a Nossa Agenda partilha as de pessoas que, com o seu trabalho e presença, fazem parte das Agendas do mundo.

Hoje é a vez do Tiago Fleming Outeiro.

 

Estive recentemente em Pequim, no VI Congresso sobre Sinucleinopatias, doenças que incluem a bem conhecida doença de Parkinson. O congresso reuniu alguns dos maiores especialistas desta área, e permitiu a troca de informação entre todos, o que é sempre importante para que possamos avançar na investigação em direcção à tão almejada cura para esta terrível doença neurodegenerativa.

Foi a primeira vez que estive na China, e confesso que não sabia bem o que iria ver. Mas fiquei completamente rendido ao poderio social e económico, em que o capitalismo está bem disfarçado pelo comunismo mas onde a riqueza se distingue bem da pobreza.

As ruas largas, intermináveis, os edíficios imponentes e modernos salpicados de outros seculares, os monumentos impondo respeito… o trânsito caótico preenchia as mais largas artérias da cidade, o número de bicicletas e ciclistas no seu desfile interminável… a dimensão e extensão da Grande Muralha da China e das suas íngremes subidas e descidas… tudo era grande por lá! Mas não era só grande! Era bem feito! O melhor exemplo desta idea foi a zona dos Jogos Olímpicos de 2008, qual Parque das Nações para “gente grande. A zona é bastante mais ampla, mais airosa, e mais impressionante! Mas não tem o Tejo nem a sua brisa, é verdade. Sou um leigo em engenharia, mas os edifícios que vi na televisão, na altura dos jogos, pareceram-me ainda mais espectaculares. Os estádios, as piscinas, os hotéis… até o metro, de uma modernidade ímpar, nos deixou impressionados! Temi que nos fôssemos sentir perdidos, mas o Inglês já é uma presença comum na sinalização das paragens. Facilmente nos deslocámos e chegámos ao nosso destino.

Mas grande era também o grau de poluição, que cobria o sol de uma névoa artificial, criando uma luminosidade incomodativa, e não permitindo apreciar a extensão da cidade.

Tiananmen é impressionante, imponente! Mao olha-nos desde uma enorme parede vermelha, que encerra a cidade proibida, onde os imperadores viveram ao longo de vários séculos. Mais de 8000 quartos e 999 edifícios assistiram ao poder, talvez desmesurado, de figuras ímpares da história. Homens que, apesar de terem apenas uma esposa oficial, chegavam a ter 3000 concubinas! Até estes números impressionam o mais viril dos machos latinos!

Nas ruas, os cheiros, os sons, os paladares, cruzam-se e misturam-se numa combinação ímpar. As espetadas de escorpiões, de bichos da seda, ou de estrelas do mar, ou talvez de carne de crocodilo, lembram-nos das “ligeiras” diferenças gastronómicas. Confesso que não fui capaz de experimentar estas iguarias… não fui suficientemente audaz, e limitei-me a experimentar um estufado com carne de burro.

A Muralha da China, ou melhor, a pequena parte que conseguimos observar da muralha, deixou-nos estafados! Subidas e descidas quase a pique, degraus e mais degraus… foi fácil perceber as dificuldades na sua construção pela dureza dos números: 50 vidas por cada 100 metros de muralha construida – este foi o custo humano por tão impressionante construção.

Este ano tive a oportunidade de visitar dois continentes que não conhecia, e que são radicalmente diferentes: a América do Sul, e a Ásia. Estive num ambiente natural, quase selvagem  (Equador e Galápagos), e noutro bem mais artificial, e humanizado. Mas posso dizer que a China me impressionou pela dimensão, e também pela ciência, da mais alta qualidade, e suportada por um poderio económico que os está a fazer crescer a passos largos! É mesmo um mundo do outro lado do mundo que me fez ficar de “olhos em bico”!

Read Full Post »

A Nossa Agenda faz um ano! E melhor do que fazer um balanço – suspeito – de uma coisa que é nossa… é pedir a opinião àqueles que contruíram connosco este projecto. Que de alguma forma o fizeram acontecer. Por isso, e porque as outras agendas nos interessam, quisemos que os nossos colaboradores contribuíssem mais uma vez.  Que nos dissessem
o que acham, brincassem com os erros, criticassem a linguagem, que nos olhassem com realismo. Pedimos que no fizessem melhores do que antes e nos ajudassem a projetar o futuro, que convosco, se vislumbra bem mais divertido e preenchido.
Que um ano é pouco tempo para tudo aquilo que queremos da Nossa Agenda.

Margarida e Mariana

Aqui ficam as respostas de quem aceitou o desafio [Obrigada!]:

A minha agenda não tem sido, a minha tem sido muito a vossa, a correr, aos bocadinhos, quando posso. Mas tem sido.

A Mariana e a Margarida ensinam-nos a olhar o mundo com outros olhos, mais bonitos, mais românticos, mais literários. E isso é mau? Fugimos à realidade? Não, porque elas têm a fórmula mágica de escolher o quotidiano para podermos ler com os olhos delas. E escrevem muito bem. Tão raro, e que privilégio o nosso.

Parabéns.

Luísa Lopes.

Não costumavam ser os acontecimentos do dia-a-dia, os que são apenas notícia por um dia, que mais a atraíam. Interessava-se sobretudo pelas historinhas, pelos detalhes, pelo que vale uma conversa ou um olhar mais demorado. Por isso gostava da agenda delas, que liberta a outra “agenda”… Inspira-se nela, mas propõe outros ângulos e muitas vezes ousa incluir na agenda o que dificilmente nela caberia, nos moldes mais tradicionais. Uma alternativa poética que ela gostava de espreitar…”

Entrada Na Nossa Agenda  a propósito da notícia:

“Um ano a trocar as voltas à Agenda”
Sugestões? Mantenham-se infiéis à outra agenda!

beijinhos e parabéns!

Susana  Marques

Dos poucos blogs que observo pela rede, tenho a destacar a alegria da escrita transmitida nas vossas noticias e o “tamanho” atingido por este vosso canal de informação. Voces conseguem dar a conhecer mais e melhor do mundo, de uma maneira não enfadonha e, principalmente, de uma maneira não negativa. A vossa informação não vive da tristeza e destruição, o que é raro nos dias de hoje. Estão no bom caminho! PARABENS pelo 1º ano de existência. Espero que seja o 1.º de muitos…

Diogo Antunes

Contactei com “A Nossa Agenda” há pouco tempo, mas percebi que se trata de um espaço de partilha valiosa. A “Nossa Agenda” faz parte da minha agenda, pelo que tento seguir os novos textos com assiduidade.  Parabéns, e continuem o excelente trabalho!
Beijos
Tiago Fleming Outeiro


vou começar a pior maneira possível: raramente abro a página da nAgenda.

assino o feed. por isso é possível que eu não conste das vossas estatísticas. [e agora, depois disto, o meu parvo começo torna-se ainda mais parvo. acho que já estavam à espera disso, a culpa é vossa.]

seja como for leio sempre que é actualizada. quando não é não leio.

mesmo que às vezes algumas histórias puxem mais pela rabetice que há em nós, gosto de ler outra história que não existe na notícia. [uma estória, é isso!?].

só gostava que a ceninha [termo técnico] das músicas fosse mais história com música pelo meio. depende de cada um, eu sei, mas prontES.

é só.

*

[sim sim, mas a culpa não deixa de ser vossa.]

Luís Batista

 

Numa altura em que cada vez mais a nossa agenda mediática se rege por critérios económicos e não de interesse noticioso, é bom que existam agendas como a vossa… mais humana, mais próxima, mais sentida. Keep up the good work!

Pedro Neves


Eu sou colaboradora recente! Quase não chegava a tempo de celebrar o “níver” deste blog, postando mais larachas para celebrar “esta data querida”
(para quem não me conhece, eu sou aquela que tentou fazer humor na escolha de músicas, e que agora repete a graçola já gasta)

Ora pois, que eu tenho a confessar que às vezes não vos leio… sim sim, sou uma salafrária sem-vergonha, mas a vida mete-se pelo meio, e o trabalho pesa, rouba o tempo precioso!

Mas o que diz mais da qualidade do vosso blog não é o fato de eu não vos ler (MUITO RARO, MAS LÁ ACONTECE), mas a frustração que me invade quando (não) o faço…

E de cada vez que volto, recordo a vossa qualidade, o vosso talento, e o vosso carácter!

Para quem só agora se junta a nós, este é o blog de duas amigas que querem agarrar o mundo, falar com ele, e aprimorar a o “métier”! O talento corre-lhes nas veias, a escrita surge sem grande esforço: porque quem é sincero e talentoso, só precisa de ouvir o coração

É o que elas fazem!

parabéns, continuem!

assina esta vossa filha pródiga (MUITO RARO, MAS LÁ ACONTECE).

tê (em SP)

Teresa Morais

Read Full Post »

Quando ele chegou foi a incredulidade estampada nos rostos de quem teve a sorte de assistir ao momento. Foi o auge do esforço humano em ir cada vez mais longe, com dedicação, com empenho, com afinco.

Ainda hoje há o espanto da conquista, da vitória conseguida sem ainda certeza do que se iria encontrar. Sem a certeza do que se queria descobrir. De que portas se iriam abrir com a ousadia de desafiar o Universo.

Depois passou a ser pouco. O auge passou a ser o natural. O desejo, a ambição, a vontade aumentaram. Quis-se sempre mais, para poder ser mais e fazer mais. Para se descobrir o insondável, para se acaberem os segredos. Como se de alguma forma o poder humano aumentasse a cada mistério solucionado.

Agora o desafio é maior. Unem-se esforços, fazem-se planos, reunem-se os melhores. Para fazer melhor. Para quebrar os limites.

Entrada na Nossa Agenda a propósito da notícia:

Europa lanzará su primera nave para explorar Mercurio en 2014

La misión BepiColombo de la ESA intentará desvelar los múltiples secretos del planeta terrestre menos conocido

http://www.elpais.com/articulo/sociedad/Europa/lanzara/primera/nave/explorar/Mercurio/2014/elpepusoc/20091123elpepusoc_5/Tes

Read Full Post »

Suspiro

A respitação sente-se tensa nos minutos que antecedem o grande momento. Pode ser também o Grand Finale, no bom e no mau sentido. Os olhares cruzam-se, temerosos, como se a vida de cada um dependesse dos gestos, da segurança dos outros. O suor corre pelos corpos, não de calor, mas de frio, de ansiedade, de temor, de nervoso.

Há sons, ao fundo. Gritos imperceptíveis. Há o silêncio nervoso da sala, interrompido por um ou outro suspiro, alguém que se levanta, três passos para pegar na garrafa da água e tentar relaxar só com a ajuda da ansiedade. Hoje é o dia. Não haverá mais hipóteses, não haverá mais forma de contornar a situação. É o derradeiro momento  que dez milhões de pessoas aguardam com ansiedade!

As portas abrem-se.

A ansiedade transformada em adrenalina ajudou,

O sonho tornou-se realidade. Pelo menos por agora. O suspiro de alívio de dez milhões. Em coro com os 11 que agora saem de campo.

Entrada na Nossa Agenda a propósito da notícia:

África do Sul 2010

Inteligência e coragem levaram Portugal ao Mundial

http://desporto.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1410426

Read Full Post »

Older Posts »